Lígia Guerra

Lígia Guerra
Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

É tudo tão rápido nesse palco...


Orgulho, egoísmo, fama, vaidade... São tantos sentimentos tolos que enganam os olhos do verdadeiro saber que eu me pergunto: "Por qual motivo todos nós fingimos não perceber o óbvio?" Diariamente vemos pessoas partindo dessa vida... Todos os dias assistimos pessoas roubando e se corrompendo por dinheiro e poder, mas tendo que justificar o injustificável ao tentar dominar um mundo que não lhes pertence... Um mundo emprestado! 

É tudo tão rápido nesse palco, tão veloz, tão efêmero... E quando você vê uma grande parte da existência já não lhe pertence mais. Já lhe perguntaram "quantos leões você é capaz de matar por dia pela sua (sobre)vivência?" Eis uma metáfora estúpida que incita mais agressividade, soberba e desperdício de energia. 

Tenho plena convicção que se nos perguntassem quantas pessoas conseguimos ajudar por dia, certamente realizaríamos o nosso trabalho ainda melhor, faríamos mais amigos, seríamos mais realizados e nos tornaríamos mais saudáveis emocional e fisicamente. 

Trocar as tolices pela essência, pouquinho a pouquinho, é o grande segredo das existências bem vividas por aqueles que sabem fazer bonito entre o ponto de partida e o ponto de chegada. Desejo-lhe passos sábios! 

*Lígia Guerra*


Nenhum comentário: