Por que carrego doçura na alma e asas nos pés?
Porque sinto a vida além do óbvio.
Porque enxergo sol em dias de chuva.
Porque amo até mesmo o desamor.
Porque acolho cada gesto com os braços do coração.
Porque perfumo o caminho das estrelas.
Porque componho alegria na poesia da tristeza.
Porque desejo colorir a vida com olhos de fé!

- Lígia Guerra -

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Um Deus Adormecido...


Existe um Deus adormecido em cada história de amor. É verdade. Quando um amor adentra as nossas vidas, sentimos esse Deus sapateando alegremente no assoalho dos nossos corações. A sua dança é firme, ágil, sonora e cadenciada. Então… de dois corpos se faz um. De duas angústias… milhares de novas certezas. Das diferenças germina a criatividade. Das semelhanças florescem as realizações. De duas bocas brota apenas uma oração. 

Surge o pertencimento onde habitava a solidão. Abandonamos os outonos da alma e aprendemos a perfumar os campos da primavera onde tudo floresce. 

E lindamente o amor canta o seu belo mantra dentro de nós… Colhe-me, colhe-me! 

- Lígia Guerra -



AMOR (E)TERNO... É possível?

QUADRO – “CONFUSÕES A 2. SOLUÇÕES A 3." 

As pessoas desejam ser felizes nos seus relacionamentos, nos seus casamentos. O que acontece é que muitas vezes elas não sabem como ajustar as suas diferenças e atingir uma vida harmoniosa e amorosa na intimidade dos seus lares, do seu afeto. 

No quadro de hoje eu abordo de maneira prática esse tema nem sempre fácil, mas tão importante para a saúde conjugal. Descubra alguns segredinhos dessa equação tão fascinante quanto desafiadora!!! 

 Reflita comigo. 

 – Lígia Guerra –

 


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Peso extra...


Você já levou na mala das suas férias mais roupa do que deveria? Percebeu como o peso e a falta de espaço incomodam? Imagine essa mesma atitude quando o assunto são as suas emoções. 


Carregar as nossas dúvidas e crescer com os nossos medos e inseguranças já é um desafio imenso para cada um de nós. Imagine carregar o peso extra das emoções alheias?! Preste bem atenção aos seus relacionamentos. 

Existem pessoas que depositam sobre os seus ombros as bagagens que elas têm preguiça de carregar e enfrentar. Na viagem da vida podemos e devemos ajudar uns aos outros... Mas isso não significa que devemos nos tornar depositários das frustrações alheias. 

A nossa saúde psicológica precisa de um precioso aliado, o limite. Proteja-se do egoísmo. Seja parceiro da sabedoria. Ame-se para poder amar. 


- Lígia Guerra -



Consciência...


Amar é maravilhoso! 
Mas ter consciência do próprio valor é fantástico!!! 

 - Lígia Guerra -



Medo de compromisso nem sempre significa falta de amor...


Medo de traição, relações abusivas, autoestima rebaixada, imaturidade e muitas outras causas podem acarretar um medo profundo de compromisso. 

Compreenda esses mecanismos e faça o diagnóstico. Analise se o seu parceiro(a) está te enrolando ou precisando de ajuda. Isso poderá mudar radicalmente o seu futuro. Reflita comigo. 


- Lígia Guerra -




segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Não sou flor que se cheire !!!


"Tens razão... Não sou flor que se cheire !!! Sou flor que se rega... Que se cultiva e que floresce... Porque cheirar qualquer um quer, mas cuidar é para poucos." 

Quero ao meu lado aquele que se disponha a ser inteiro. Aquele que ame sem restrições e jogos. Aquele que não tenha vergonha de desnudar a minha alma enquanto descobre os segredos do meu corpo. Aquele que sabe que a beleza da entrega se revela para quem não ama pela metade. 

- Lígia Guerra -


domingo, 18 de setembro de 2016

DEUS...


Durante essa semana ministrei um curso sobre ‘inteligência espiritual’ para um grupo reservado de empresários. Uma procura que me faz acreditar nas mudanças profundas que vêm ocorrendo nas relações e preocupações humanas. Quando um deles me perguntou se eu acredito em Deus, usei a belíssima analogia do escritor húngaro Útmutató a Léleknek para expressar como me sinto em relação a essa questão. 

“No ventre de uma mãe havia dois bebês. 
Um perguntou ao outro: “Você acredita em vida após o parto?” 
O outro respondeu: “É claro. Tem que haver algo após o parto. Talvez nós estamos aqui para nos preparar para o que virá mais tarde.” 

“Bobagem”, disse o primeiro. “Não há vida após o parto. Que tipo de vida seria essa?” 
O segundo disse, “Eu não sei, mas haverá mais luz do que aqui. Talvez vamos poder andar com as nossas pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora.” 

O primeiro respondeu: “Isso é um absurdo. Andar é impossível. E comer com a boca? Ridículo! O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o que precisamos. Mas o cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto logicamente está fora de questão.” O segundo insistiu, “Bem, eu acho que há alguma coisa, e talvez seja diferente do que é aqui. Talvez a gente não vai precisar mais deste tubo físico.” 

O primeiro respondeu: “Bobagem. E além disso, se há mesmo vida após o parto, então por que ninguém jamais voltou de lá? O parto é o fim da vida, e no pós-parto não há nada além de escuridão e silêncio e esquecimento. Ele não nos leva a lugar nenhum.” “Bem, eu não sei”, disse o segundo, “mas certamente vamos encontrar a Mãe e ela vai cuidar de nós.” 

O primeiro respondeu: “Mãe? Você realmente acredita em Mãe? Isso é ridículo. Se a Mãe existe, então onde ela está agora?” O segundo disse: “Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e não poderia existir.” 

Disse o primeiro: “Bem, eu não posso vê-la, então é lógico que ela não existe.” Ao que o segundo respondeu: “Às vezes, quando você está em silêncio, se você se concentrar e realmente ouvir, você pode perceber a presença dela, e pode ouvir sua voz amorosa, lá de cima.” 

Tantos pedem provas sobre Deus, mas quantos se preocupam em demonstrar que a sua própria existência não é vã? Que a sua vida não é um desperdício diante da criação e da energia do universo? 

Penso que quando a pergunta for invertida, quando paramos de perguntar uns para os outros se acreditamos em Deus e perguntarmos se nós somos pessoas que merecemos a sua confiança, o nível da consciência humana se ampliará. Diante dessa nova premissa a terceirização das responsabilidades deixará de ser uma preocupação e nos concentraremos em ser honestos com o outro e com as nossas escolhas. 

E sim, eu acredito em Deus. Eu o cultivo no meu coração, nas minhas atitudes e na relação de confiança que estabeleço com Ele, com as pessoas e com a vida. 

- Lígia Guerra -


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Luxo...

“Minha mãe achava estudo a coisa mais fina do mundo. Não é. A coisa mais fina do mundo é o sentimento. Aquele dia de noite, o pai fazendo serão, ela falou comigo: “Coitado, até essa hora no serviço pesado”. Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água quente. Não me falou em amor. Essa palavra de luxo.” 

Adélia Prado tem razão… 

Luxo é sermos a companhia desejada pelos amigos. A presença festejada na família. A palavra certa nos momentos incertos. O amor que aquece o frio no peito. A ajuda que fortifica. A simplicidade que enriquece. Luxo não é vestir marcas caras. 

Luxo é ser uma marca positiva no mundo. 

- Lígia Guerra -


“Excesso de intimidade no relacionamento”.

barbie no banheiro

QUADRO - “CONFUSÕES A 2. SOLUÇÕES A 3".

Tema de hoje: 
“Excesso de intimidade no relacionamento”.

Quando eu estava prestes a casar a minha avó me passou algumas dicas sobre a vida a dois. Aquelas de quem deseja que a neta seja muito feliz! Uma delas foi: “Nunca use a calcinha da sua avó” (não irei permitir), e jamais aceite que o seu futuro marido use as “cuecas do avô”.

Com o seu humor inteligente, ela usou essa metáfora para falar sobre outras questões profundas que fazem toda a diferença nos casamentos inteligentes e felizes. 

Aplico cada ensinamento e sou muito grata a ela.

Depois dessa conversa aprendi muitas outras coisas sobre os relacionamentos afetivos. A psicanálise, a vida e a experiência também são grandes mestres. 

O que percebi é que independente do caminho do aprendizado, todos tinham uma coisa em comum: Jamais banalizar as conquistas e os cuidados diários em relação a si mesmo e ao outro. São os pequenos degraus que constroem as grande escadas.

Pensando nisso, elaborei o tema do nosso quadro de hoje. 

Espero que você goste.

- Lígia Guerra -


CURSO SOBRE COMUNICAÇÃO PARA O TIME DA “COPEL”.

FOTO LIGIA GUERRA COPEL

CURSO SOBRE COMUNICAÇÃO PARA O TIME DA "COPEL" 

- (Companhia Paranaense de Energia)

Foi maravilhoso ser muito bem recebida e merecer a confiança desse time tão comprometido quanto apaixonado pela empresa. Investir em educação emocional e análise comportamental é o primeiro passo para impactar positivamente o público interno e externo de uma organização e consolidar a sua marca. 

Quem potencializa a sua equipe fortifica conhecimentos, laços e crescimento individual e coletivo. Parabéns a todos que ousaram quebrar paradigmas e se reinventar no seu processo de crescimento profissional!

- Lígia Guerra -


domingo, 11 de setembro de 2016

Que você destrave a sua timidez emocional...

 ... E declare o seu amor em todos os idiomas!!!

- Lígia Guerra -



Como está a sua conta emocional?

Quem disse que as pessoas muito diferentes não podem ser complementares? Essa eterna busca pelas semelhanças também empobrece as emoções. A grande questão não é o quanto você é semelhante ou diferente do seu parceiro afetivo, mas o quanto você está aberto para aprender e para ensinar. É a disposição para a troca que empobrece ou enriquece a “conta” emocional.

- Lígia Guerra -


Platéia boa...


Espetáculo ruim não merece platéia boa!!! 

- Lígia Guerra -


A função da memória...


Ao invés de se apegar ao que já foi, que tal reler com mais atenção? Qual de nós ao ler ou ao assistir um filme pela segunda vez não encontrou novos significados e percepções sobre a mesma história?! 

 não é retroalimentar os sofrimentos, mas nos libertar deles. Ressignificar. Graças a essa possibilidade deixamos de carregar pesos emocionais. 

Lição aprendida. 
Alma liberta. 
Vida nova. 

 - Lígia Guerra- 🎬🌟




“A semente não pode saber o que lhe vai acontecer...


A semente jamais conheceu a flor. E a semente não pode nem mesmo acreditar que traga em si a potencialidade para transformar-se em uma bela flor. Longa é a jornada. E sempre será mais seguro não entrar nela, porque o percurso é desconhecido, e nada é garantido... mil e uma são as incertezas da jornada, muitos são os imprevistos - e a semente se sente em segurança, escondida no interior de um caroço resistente. Ainda assim ela arrisca, esforça-se; desfaz-se da carapaça dura que é a sua segurança, começa a se mover. A luta começa no mesmo momento: a batalha com o solo, com as pedras, com a rocha. A semente era muito resistente, mas a plantinha será muito, muito delicada, e os perigos serão muitos.”

Esse é o grande perigo daqueles que comparam o que são com o que acreditam que deveriam ser. Imaginam conquistas grandiosas para as suas vidas. Raramente refletem sobre os pequenos passos diários que farão parte do percurso. Aplicam o mesmo princípio sobre o sucesso alheio. Miram no resultado e nas conquistas das pessoas, mas esquecem de admirar as suas trajetórias… Aquelas que acontecem nos bastidores, no anonimato do esforço contínuo, na dedicação inundada de amor que vence o cansaço e os obstáculos.

Entre a semente e a flor não existe apenas o desejo, acima de tudo existe um elo que atende pelo nome de ATITUDE.

🎬  - Lígia Guerra -